Camamu: Rosemberg diz que campanha de Ioná continua: “Vamos ao TRE”.

O Deputado estadual mais bem votado em Camamu nas eleições de 2018, Rosemberg Pinto (PT) criticou a decisão do juiz de 1ª instância, José Ayres Júnior, que indeferiu o registro de candidatura a prefeita de Ioná Queiroz (PT) na eleição suplementar, marcada para o próximo dia 1º de setembro.

Em entrevista à Rádio Ubatã FM na noite desta quinta-feira (8), logo após tomar conhecimento da decisão, o parlamentar informou que Ioná irá recorrer, nesta sexta-feira (9), ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e a expectativa é que a corte eleitoral baiana mantenha o mesmo entendimento que teve no pleito municipal de 2016, quando a então candidata teve o registro deferido e venceu a eleição com 51,13% dos votos.

“A própria oposição sempre colocou que o juiz não gosta do Partido dos Trabalhadores e, talvez, pode ter influenciado na sua decisão. Não quero acreditar nisso, mas os opositores de Ioná já afirmavam e comemoravam antecipadamente uma decisão que ainda seria proferida”, lamentou.

Para Rosemberg, a argumentação do juiz Ayres Júnior é frágil. “O juiz pautou a discussão como se Ioná tivesse sido a geradora da causa da nova eleição. Ela se elegeu por uma decisão do Tribunal que, por unanimidade, garantiu o seu registro em 2016. Em 2017, no meio do mandato, o STF muda o entendimento. Como pode ser Ioná a geradora da nova eleição? Tem algo errado, inclusive, conversei com alguns juízes e eles têm o mesmo entendimento”, argumentou o deputado.

Ainda segundo Rosemberg, que é o principal interlocutor do município junto ao governo Rui Costa e aliado da candidata a prefeita, a campanha continua até a decisão do TRE-BA.

“Ioná é uma mulher que tem ajudado Camamu. Às vezes que ela deixou o cargo, a cidade perdeu importância e investimentos. As obras do asfalto no Centro, por exemplo, foram suspensas após sua saída. Ela, mesmo fora da prefeitura, me procurou e eu, junto com o deputado Paulo Magalhães, garantimos o retorno das obras, coisa que o atual gestor não conseguiu. Ou seja, quem vai perder com a saída de Ioná é a sociedade”.

“Lamento, ainda, que na decisão, o Juiz diz que a cidade necessita de governantes ‘probos e competentes’, como se Ioná não fosse, numa demonstração total de injúria e parcialidade. Ele precisa explicar isso”, cobrou Rosemberg.